Pequenos detalhes: Go Red for Women Barbie Doll

É muito legal ver a Mattel e o ícone Barbie apoiando causas beneficentes. Em 2007 duas versões, uma negra e uma loira (clique para ver a imagem aqui), foram lançadas para dar suporte a organização The American Heart Association, além da doação de $100,000 para a instituição que luta contra as doenças do coração em mulheres, causa número 1 de mortes nos Estados Unidos.

Como mostrei  nesse post daqui eu não sou muito fã de dobradinhas, mas para apoiar uma causa acho muito válido e democrático a empresa lançar duas versões. Aparentemente, a negra foi a mais requerida, pois foi vendida pelo preço de $24,95, enquanto a loira encalhou nas prateleiras e parou nas liquidações, vendida por $12,00. É também mais comum encontrar a loira no ebay do que a negra. Curioso também que no mesmo ano lançaram a Boneca Pink Hope (clique para ver a imagem aqui) para apoiar a luta contra o câncer de mama em uma variação rosa do vestido da Go Red.

Vamos conferir uma das minhas negras favoritas com o molde Goddess (esse post é dedicado ao André Santiago, que tenho certeza que em breve conseguirá uma com um ótimo preço).

Go red for Women Barbie Doll african american

Desenha por Robert Best, a boneca que apoia as causas do combate a doenças do coração foi lançada no dia 1/06/2007.

Go red for Women Barbie Doll african american

A versão negra foi produzida com o belo molde Goddess, contribuindo na beleza dessa boneca.

Go red for Women Barbie Doll african american

Olhos castanho claro, pequenos e marcantes, cílios bem desenhados e um iluminador contrastam na pele negra da boneca, além do batom vermelho para combinar com o vestido.

Continuar lendo

Mattel/Barbie é democrática com as bonecas negras?

Olá pessoal. Hoje meu post é para pensarmos e discutirmos juntos uma questão que talvez incomode muitos colecionadores: se a fabricante da Barbie é ou não democrática na produção de suas bonecas negras.

Já vi alguns colecionadores alegando que a quantidade de bonecas negras produzidas em relação as loiras são bem menores que chega a ser ridículo; outros reclamam que as versões que chegam no Brasil são somente as loiras. Pensado nessas questões que resolvi criar esse post e trazer algumas fotos e questões para debatermos. Só ressaltando que as imagens apresentadas/analisadas são de bonecas com o corpo ModelMuse, não me refiro a outros tipos de coleção, e de bonecas que vestem a mesma roupa, quando é produzida mais de uma versão. Comecemos com uma retrospectiva:

  • 2004 – A coleção ModelMuse começou com cinco bonecas e apenas uma negra, Nichelle, já apresentando um novo molde de rosto. Nesse sentido, a fabricante começou bem, tanto pelo molde, quanto pela originalidade na roupa da boneca.
  • 2005 – Das nove bonecas produzidas, nenhuma negra. Ponto negativo para a empresa.
  • 2006 – Das doze bonecas produzidas, uma negra (On Location Milan) e uma afro descendente (Byron Lars Sugar). Aqui o ponto positivo foi pela inclusão de uma boneca criada por um grande estilista e uma coleção de bonecas negras.
  • 2007 – A partir de 2007  talvez a coisa começa a se “democratizar”. Vejamos a imagem abaixo:
K8667

Em cima, da esquerda para a direita (produzidas em 2007): 2007 The most collectible doll (de azul, ambas as versões) e Go red for woman  (de vermelho, ambas as versões). Em baixo, da esquerda para a direita (produzidas em 2009): Pottery Barn Kids  (de pijama, ambas as versões) e 50th Anniversary doll  (de dourado, ambas as versões). (Fotos: Barbie Collector)

Continuar lendo